Pequeno manual da gestante de primeira viagem por Sarah Oliveira

Achei muito interessante e pertinente essa entrevista para a revista TPM, onde Sarah Oliveira conta como se livrou das perguntas intrometidas enquanto esperava sua 1ª filha:

“Durante a gravidez, você precisa praticar a cara de paisagem e as respostas monossilábicas. Todo mundo tem muita opinião. Disfarce, sorria e respire fundo”… POR SARAH OLIVEIRA 13.12.2012 TPM #127

“Você já fez o enxoval da mamãe?”
Comprei uma camisola nova. (Pensamento: será que era essa a pergunta? Whatever…)

“Prepare-se para conhecer o amor verdadeiro e incondicional!”
Cara de paisagem seguida de uma piscadinha. (Pensamento: você só conheceu o amor verdadeiro depois de ter filho? Sorry! E quem não quer ter filho, não vai conhecer nunca? Cada um ama da sua forma.)

“Gravidez é horrível, mas, depois que nasce, você esquece tudo o que sofreu.”
Cara de paisagem. (Pensamento: não projete em mim suas experiências.)

“Você só vai voltar a namorar depois que a criança completar 1 ano e olhe lá…”
Cara de paisagem. (Pensamento: não projete em mim suas experiências.)

“Eu voltei ao peso normal só amamentando, em dois meses não tinha mais barriga e estava com apetite sexual normal.”
Cara de paisagem. (Pensamento: as pessoas têm uma relação particular com seu corpo, com sua gestação, antes e depois. Portanto, não queira que eu entre na noia de como será comigo.)

“Você vai ter babá que dorme na sua casa todo dia?”
Não.

“Mas você já parou pra pensar que não conseguirá mais sair toda noite?”
Também não.

Ou então…

“Acho um absurdo quem contrata enfermeira que dorme a semana toda, ela acaba cuidando mais do seu filho do que você.”
Sorriso amarelo. (Pensamento: acho um absurdo quem acha tudo um absurdo. Nada é absurdo, depende do ponto de vista e da realidade de cada um.)

“Li que você é contra babá ter que usar branco para entrar em clubes. Mas, e aí, o que vai fazer?”
Não frequento clubes.

*Dica: essas quatro questões que envolvem babá/enfermeira são polêmicas, então você responde de maneira rápida pra não ter que desenvolver, pois a verdade é que as pessoas têm seus esquemas e seus porquês e a maioria quer ajudar você levando em conta a própria experiência – que pode ser bem diferente da sua. E você pode pirar querendo fazer o mesmo que o outro, às vezes sem necessidade. Você só saberá como funciona seu filho depois que ele nascer. Isso eu também só saberei em janeiro.

“Os homens só ficam com a parte boa, só querem brincar e dar carinho. Trocar fralda que é bom, nada…”
Cara de paisagem. (Pensamento: não fale como se eu pertencesse ao seu mundo. Um conselho? Nunca fale isso ao pai da minha filha, não me responsabilizo pelo fora que ele vai te dar.)

“Prepare-se para nunca mais dormir direito…”
Sorriso amarelo. (Pensamento: tenho insônia desde os 5 anos.)

“Quanto engordou? Fulana engordou 14 quilos, mas sempre diz que engordou dez. E você?”
Eu tô me achando linda.

“Você só saberá como funciona seu filho depois que ele nascer. Isso eu também só saberei em janeiro”

“Você vai fazer parto normal?”
Estamos trabalhando para isso. Estou treinando posturas adequadas ao lado do meu marido, respiração e relaxamento na bola e na banheira. Mas aprendi que o melhor parto é aquele possível.

“Mas o nascimento da sua filha está previsto para o Ano-Novo, por que não marca logo uma cesária?”
Vou fingir que não ouvi seu comentário. Tsá?

“Você já mandou fazer lembrancinha de maternidade?”
Oi?

“NÃO dê chupeta, NÃO pare de amamentar antes dos 9 meses, NÃO dê frutas antes dos 6 meses, NÃO isso, NÃO aquilo… ”
Cara de paisagem. (Pensamento: NÃO pedi sua opinião.)

http://revistatrip.uol.com.br/tpm/pequeno-manual-da-gestante-de-primeira-viagem

Post navigation

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *